FAVICON.png

ENFERMAGEM

A Equipa de Enfermagem tem como missão prestar cuidados de enfermagem de Qualidade a todos os clientes do Hospital Particular de Paredes.

A Equipa de Enfermagem insere-se num contexto de atuação multiprofissional e desempenha a sua atividade no sentido da promoção da saúde, da prevenção da doença, da satisfação das necessidades humanas, da readaptação à vida ativa, da adaptação funcional aos défices e da reinserção socioprofissional.

Os Enfermeiros do Hospital Particular de Paredes no âmbito da sua atividade profissional, respeitam o Código Deontológico, o Regulamento do Exercício da Profissão de Enfermagem, os Padrões de Qualidade dos Cuidados de Enfermagem e as Competências Definidas pelo Conselho de Enfermagem da Ordem dos Enfermeiros.

A prestação dos cuidados de Enfermagem, tem presente os princípios orientadores da Ordem dos Enfermeiros, nomeadamente:

·         Satisfação dos clientes: respeitando as suas capacidades, crenças, valores e desejos individuais;

·         Promoção da saúde: enquadrando a situação dos clientes na sua família e na sociedade criando e aproveitando oportunidades para promover estilos de vida saudáveis;

·         Prevenção de complicações: identificando tão rapidamente quanto possível os problemas potenciais do cliente; implementando e avaliando intervenções que contribuam para evitar esses problemas ou minimizando os seus efeitos indesejáveis; prescrevendo intervenções de enfermagem técnica e cientificamente adaptadas aos problemas identificados; referenciando para outros profissionais de saúde situações problemáticas para as quais não tem capacidade de intervenção; supervisionando atividades de enfermagem delegadas; e responsabilizando-se pelas decisões tomadas e pelos atos praticados ou delegados.

·         Maximizar o bem-estar e o autocuidado: identificando tão rapidamente quando possível os problemas do cliente para os quais tem conhecimentos e está preparado para prescrever; implementando e avaliando intervenções que contribuam para aumentar o bem-estar e para complementar atividades de vida relativamente às quais o cliente é dependente.

·         Contribuir para a readaptação funcional: reconhecendo a continuidade do processo de prestação de cuidados de enfermagem; planeando a alta dos clientes internados, de acordo com as suas necessidades e os recursos da comunidade.

·         Contribuir para a organização dos cuidados de enfermagem: conhecendo a existência de um quadro de referências para o exercício profissional de enfermagem; conhecendo a existência de um sistema de melhoria contínua da qualidade de exercício profissional dos enfermeiros; utilizando metodologias de organização dos cuidados de enfermagem promotoras da Qualidade.

Enfermeiro Diretor: Enf. Luísa Soares


FAVICON.png

TÉCNICOS DE DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA

O Hospital Particular de Paredes conta com a prestação de um corpo de Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica abrangente e altamente qualificado.
O avanço tecnológico que se tem registado nos últimos anos no setor da saúde e a especialização profissional imprescindível que lhe está associada conferem atualmente aos Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica um papel determinante nas equipas de saúde. Assim, a inovação tecnológica patente no Hospital Particular de Paredes conta com a prestação de um corpo de Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica jovem e altamente qualificado, selecionado em conformidade com padrões rigorosos em termos técnicos, pessoais e de experiência profissional.

Os Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica do Hospital Particular de Paredes desenvolvem a sua attividade em várias áreas, integrados em equipas multidisciplinares, colaborando para uma prestação de cuidados única, centrada nas necessidades dos pacientes e contribuindo decisivamente para o seu bem-estar e qualidade de vida. Os Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica apostam também fortemente numa aprendizagem contínua, através do envolvimento em programas de formação e investigação nas suas áreas profissionais, o que lhes permite responder à evolução tecnológica e garantir a melhor qualidade e eficiência na prestação de cuidados de saúde.

Os Técnicos de Imagiologia desenvolvem a sua atividade profissional na realização e avaliação da qualidade de imagens médicas no âmbito das diversas áreas de intervenção Imagiológicas, nomeadamente, Angiografia, Densitometria Óssea, Radiologia Geral, Mamografia, Ortopantomografia e Cefalometria, Ressonância Magnética e Tomografia Computorizada (TAC). Prestam ainda apoio imagiológico em atos cirúrgicos através de Intensificadores de Imagem, Cardiologia e Radiologia de Intervenção.

Os Técnicos Audiologistas desenvolvem a sua atividade na área do diagnóstico, planificando, executando e interpretando exames de exploração funcional clássica e eletrofisiológica, com o objetivo de identificar, quantificar e qualificar anomalias do sistema audio-vestibular. Na área da reabilitação, participam no planeamento e execução de programas de reabilitação auditiva e vestibular.

Os Técnicos de Cardiopneumologia exercem a sua ação no contexto morfo-funcional e fisiopatológico dos sistemas cardiovascular, cerebrovascular e respiratório, através da realização de exames de diagnóstico e ações terapêuticas, nomeadamente, na execução de eletrocardiogramas, provas ergométricas, ecocardiogramas, provas funcionais respiratórias, estudos do sono, estudos ambulatórios da função cardiovascular, estudos de ecodoppler vasculares periféricos e cerebrovasculares. Colaboram ainda em atos invasivos de diagnóstico e terapêutica cardiovascular, em reanimação cardiorespiratória e nos meios de suporte de vida em cirurgia cardiotorácica através de tecnologia extracorporal.

As funções primordiais dos Técnicos de Nutrição abrangem várias áreas, entre as quais se incluem, no âmbito da promoção da saúde, a elaboração de programas de intervenção, formação e promoção para hábitos alimentares saudáveis; no contexto terapêutico, a sua intervenção reflete-se na programação de uma alimentação e suporte nutricional adequados, segundo a condição clínica e estado nutricional do paciente e a realização de consultas de dietética e nutrição. Desempenham também funções na área da segurança alimentar, através do controlo de qualidade dos alimentos no Hospital.

Os psicólogos clínicos são profissionais de psicologia que trabalham na área da saúde mental. A sua formação permite-lhe realizar avaliações psicológicas e acompanhamento psicológico. Ao ter formação complementar no âmbito da psicoterapia poderá ser psicoterapeuta e seguir determinadas abordagens teóricas, como a psicanálise, a analítica, a cognitiva-comportamental, a humanista, a existencial, entre outras. Os psicólogos clínicos estudam casos de forma aprofundada tendo por base a anamnese, a introspeção, a observação de comportamento, a associação livre (dependendo da sua abordagem teórica), podendo também utilizar vários outros métodos qualitativos.

Os Técnicos de Fisioterapia contribuem para a análise, avaliação, tratamento e reabilitação de problemas do movimento e da postura. A sua intervenção processa-se numa perspetiva bio-psico-social, colaborando na recuperação, aumento e manutenção das capacidades físicas dos pacientes, bem como na prevenção das incapacidades, utilizando para o efeito técnicas específicas. Estas técnicas incluem meios educativos e terapêuticos específicos, baseados essencialmente no movimento, nas terapias manipulativas e em meios físicos e naturais.

Os Terapeutas da Fala centram-se na reabilitação dos problemas da fala, no que respeita ao trabalho de articulação, voz ou débito vocal. A sua atividade está ainda intimamente relacionada com as questões e dificuldades de comunicação e de interação em pacientes de qualquer idade.

Os Técnicos de Análises Clínicas atuam integrados em equipas multidisciplinares, no âmbito da Patologia Clínica, através da realização de colheitas de produtos biológicos e da aplicação de técnicas de determinação analítica que contribuem para o diagnóstico e rastreio de diversas patologias.